domingo, 2 de novembro de 2008

Liga Vitalis - 7ª Jornada: Portimonense 2-3 Olhanense


DERBY
COM SABOR A PAULO COSTA





Narcisse marcou à sua anterior equipa

Rui Baião no seu regresso a Portimão

Armindo Vicente: um fotógrafo amigo

Trio de arbitragem numa tarde muito negativa

Guga, fez Emídio passar uma tarde muito difícil!

A festa do golo, contrastou com a tristeza no final

Gonzalo fez muita falta!



Relativamente ao jogo anterior, Vítor Pontes fez duas alterações na equipa titular. O central Fausto Lúcio voltou a ocupar o seu lugar no centro da defesa ao lado de Anílton, depois de ter ficado de fora em Gondomar por se ter lesionado durante o aquecimento, em detrimento de Heslley. Gonzalo, lesionado, também ficou de fora. Na frente de ataque alvinegra surgiu Henrique, que não fez esquecer nesta partida o possante argentino. O estilo brigão de Gonzalo poderia ter feito a diferença face aos altos centrais adversários, uma vez que Henrique só por uma vez conseguiu ganhar um lance aéreo na área Olhanense.
O Olhanense, muito bem orientado pelo antigo central portista Jorge Costa, apresentou-se em Portimão com um esquema táctico igual ao do Portimonense, jogando num 4-3-3. Entrou melhor na partida, fruto de uma pressão alta que pouco espaço deixou para o Portimonense organizar o seu jogo. Na fase inicial da partida o cerebral Rui Duarte e o irreverente Castro ganharam a árdua luta do meio-campo. Na frente, os rápidos e imprevisíveis Toy e Guga, procuravam servir da melhor maneira Djalmir, talvez o melhor avançado da Liga Vitalis (já leva 8 golos marcados em 7 jogos!).
O Portimonense procurou sobreviver ao maior ímpeto do adversário. No entanto, depois de ter falhado na cara de Paulo Ribeiro aos 8 minutos, aos 15' Djalmir entraria de rompante de cabeça ao 1º poste inaugurando o marcador, finalizando um bonito lance de Guga.
O Portimonense reagiu à desvantagem e, aos 21 minutos, esteve muito perto de empatar: Henrique atirou de cabeça à trave, com Bruno Veríssimo fora do lance, e, na recarga, sem oposição, Raphael Freitas fez o mais difícil e rematou ao lado.
O jogo tornou-se mais intenso e emotivo, no entanto o Olhanense continuava a ser a equipa mais esclarecida em campo. O Portimonense dispôs neste período de inúmeros cruzamentos para a área Olhanense, no entanto sentiu-se muito a falta de Gonzalo, uma vez que Marco Couto e Steven Vitória poucas veleidades deram a Henrique para marcar.
Muito apoiado pelo seu público, que pese a ameaça de chuva fez questão de estar presente, o Portimonense reagia mais com o coração do que com a cabeça. A falta de inspiração de alguns dos seus jogadores foi colmatada por uma grande entrega. Nesta fase de jogo era o brasileiro Raphael quem procurava levar a equipa para a frente, travando um interessante duelo com o Olhanense Stephane.
Poucos minutos antes do intervalo, o Portimonense daria a cambalhota no marcador. Aos 41', Diogo tirou dois adversários do caminho e atirou do meio da rua. Poucos minutos depois, o internacional do Burkina Faso Narcisse também tentou a sorte e fez 2-1, com a ajuda de um ressalto num adversário.
A 2ª parte prometia! Jorge Costa foi inteligente a mexer e lançou Ukra no lugar do pior Olhanense em campo até à altura, Edson.
A primeira grande situação de perigo acontece na baliza Olhanense, em que Bruno Veríssimo evita o cabeceamento vitorioso do Portimonense na sequência de um canto. Perdia-se o 3-1 logo a abrir a 2ª metade!
A partir deste momento o Olhanense encostou o Portimonense no seu meio terreno. Ukra e Guga atiraram ao ferro da baliza de Paulo Ribeiro. No entanto, pese o seu maior ascendente, o Olhanense dificilmente iria marcar, até ao minuto 66, em que o brasileiro Raphael decidiu empatar a contenda... Um lance inofensivo na área, tendo Raphael jogado a bola com o braço. Djalmir não desperdiçou e fez o 2-2, na transformação da respectiva grande penalidade.
Depois da igualdade o jogo perdeu alguma qualidade e o Portimonense parecia ser a equipa mais perigosa no ataque.
Paulo Costa e o seu fiscal-de-linha do lado da bancada de sócios, estranhamente teimavam em marcar inúmeras faltas contra o Portimonense, muitas delas inexistentes. E seria em mais um lance de bola parada, a faltar 2 minutos para o término da partida, que Steven Vitória, num lance muito confuso na área, daria a vitória no derby ao Olhanense. Depois de 4 vitórias consecutivas do Portimonense nos confrontos com o seu rival Olhanense, desta vez os homens de Olhão levariam a melhor.
Destaque no Portimonense para os dois excelentes golos de Diogo e Narcisse. Nuno Coelho, com a qualidade a que nos tem acostumado, foi talvez o melhor Portimonense no derby.
Pese a exibição do Portimonense não ter sido brilhante, foi muito esforçada e plena de transpiração. O reconhecimento dos adeptos no final da partida foi o prémio justo para um Portimonense que merecia, pelo menos, o empate.
A vaia da tarde foi para o trio de arbitragem chefiado por Paulo Costa. Perante uma exibição tão fraca, questiono-me se a qualidade deste senhor é tão má e ele é um árbitro internacional, como será a dos restantes que não o são!?
A arbitragem foi má de mais para ser verdade! Menciono apenas alguns dos lances onde ficou bem evidente o favorecimento aos homens de Olhão. Aceita-se o penalty marcado contra o Portimonense, no entanto não se compreende como não foi punida a mão de Steven aos 10 minutos na área Olhanense. A falta que originou o livre para o 3º golo do Olhanense não existiu.
Depois do empate em Gondomar, o Portimonense voltou a falhar a liderança da prova, cedendo-a com esta derrota ao seu adversário de ontem, o Olhanense.
O Portimonense voltou a denotar falhas defensivas preocupantes, sofrendo uma vez mais 2 golos em lances de bola parada. É actualmente o 2º melhor ataque da prova e a 2ª pior defesa, sendo apenas ultrapassado nestes dois aspectos pelo líder Olhanense.
Vamos apoiar o nosso Portimonense já no próximo fim-de-semana, rumo aos 8 avos-de-final da Taça de Portugal.



FICHA DE JOGO

1 DE NOVEMBRO DE 2008, Sábado, 16 horas
Estádio:
Municipal de Portimão. Tarde cinzenta e fria.
Assistência: Cerca de 3.000 espectadores (cerca de 500/600 de Olhão).
Árbitro: Paulo Costa (AF. Porto).


Portimonense: Paulo Ribeiro; Ricardo Pessoa "capitão", Anílton Júnior, Fausto Lúcio e Emídio Rafael; Nuno Prata Coelho, Diogo Melo e Narcisse Yameogo (Rui Pedro, aos 75'); Vasco Matos (Philco, aos 85'), Henrique e Raphael Freitas (Hugo Santos, aos 69').
Suplentes não utilizados: Alê; Heslley, Nilson e Luís Loureiro.
Treinador: Vítor Pontes.

Olhanense: Bruno Veríssimo; João Gonçalves, Marco Couto, Steven Vitória e Stéphane; Edson (Ukra, aos 46'), Castro (Messi, aos 83') e Rui Duarte; Guga (Rui Baião, aos 72'), Djalmir e Toy.
Suplentes não utilizados: Ricardo Ferreira; Javier Cohene, Ricardo Silva e Bruno Mestre.
Treinador: Jorge Costa.


Ao intervalo: 2-1.
Marcadores:
0-1 - Djalmir, 15 minutos.
1-1 - Diogo Melo, 41'.
2-1 - Narcisse Yameogo, 45+1'.
2-2 - Djalmir, 66' (g.pen.).
2-3 - Steven Vitória, 88'.

Acção disciplinar: Cartão amarelo para Stéphane (13'); Guga (51'); Nuno Prata Coelho (61'), Raphael Freitas (65'), Henrique (73'), Diogo Melo (87'), Emídio Rafael (92') e Djalmir (93').
O Treinador do Portimonense, Vítor Pontes, foi expulso do banco, aos 90 minutos.




CONTESTAÇÃO NO FINAL

9 comentários:

simaocdt disse...

http://videos.sapo.pt/PezNFBUFZ9gyS2BOWFOn

Resumo do derby algarvio.
Força Portimonense!

Saudações Trofenses.

Miguel Menezes "miGLã0" disse...

Ora bem,

Na minha opinião, obviamente que se o Vitor Pontes foi expulso da forma como aqui foi descrito, foi mal expulso. Mas o que coloco em causa foi a afirmação dele: "Não ganhamos porque não nos deixaram ganhar".

É verdade que houve muitos lances polémicos que quiçá pudessem virar o rumo dos acontecimentos, mas eu prefiro falar do futebol jogado, e acho que, nesse aspecto, temos muito trabalho pela frente...

Não é que a equipa esteja a jogar mal, a nossa equipa não é propriamente má, mas tem, efectivamente, muito trabalho pela frente...

Se analisarmos bem, na época passada tinhamos uma defesa forte, e um guarda-redes que também teve uma passagem de sucesso por Portimão. Nesta época, a nossa defesa tem sido bastante irregular, sofrido bastantes golos, sobretudo de bola parada, coisa que não acontecia na época passada, pois éramos muito fortes no jogo aéreo. E o nosso guarda-redes também não nos tem feito sentir seguros...

Na temporada passada sofriamos poucos golos, e as nossa vitórias eram conseguidas quase todas à custa de lances de bola parada. Tinhamos muitos especialistas em finalizar na área contrária, em livres ou cantos. Tinhamos o Wellington, Tarantini, Miguel Angelo...

Na época actual não temos nenhum desses jogadores.

Além do mais, tinhamos um grande desiquilibrador que era o Paulo Sérgio. Nesta época não apareceu ainda ninguem que o fizesse esquecer...

Já ouvi dizer muitas vezes que temos melhor equipa esta época, e realmente concordo que temos mais soluções, mas não creio que tenhamos um onze tão bom como tinhamos na época passada. Pelo menos, isso ainda não foi conseguido, e é por isso que eu digo que há muito trabalho a fazer...

O Vitor Pontes acertou nas afirmações, isso sim, quando na antevisão da partida destacou que o Olhanense tem argumentos que nós não temos. Foi algo a que assistimos de forma incontestável no sábado.

O Olhanense tem boa equipa, e conta com avançados de grande qualidade, alguns deles, teriam lugar claramente na 1ªLiga. A sua defesa, à semalhança do que se passa connosco, é o sector mais frágil, mas conseguiram disfarçar isso com a qualidade de que dispôem do meio-campo para a frente.

Foram justos vencedores uma vez que se revelaram melhores do que nós.

Espero que a nossa equipa evolua, porque esta Liga é muito competitiva, e nós temos revelado muitas fragilidades, apesar de também já termos provado que temos qualidade.

Simõesonov disse...

Estou de acordo contigo.

Podemos dizer que há lances polémicos, podemos até dizer que o Portimonense poderia ter beneficiado de 1 penalti, e que o terceiro golo do Olhanense surge na sequência de livre inexistente.

Mas já não podemos dizer que o Portimonense foi superior ao Olhanense. Na 2ª parte foi por demais evidente que eles estiveram muito bem, foram mais rápidos e mais fortes no meio campo.

Desta vez ganharam eles, é pena.

Miguel Menezes "miGLã0" disse...

Na temporada passada, na 1ª volta, fomos muito muito fracos, mais do que estmos a ser agora..

Pode ser que, com o trabalho realizado, a equipa cresça, e no jogo da 2ª mão já estejemos à altura do desafio... :)

marafado disse...

gosto muito do vosso blog.só tenho pena que vcs quando se fala contra o treinador do nosso clube e muitas vezes com razão vcs não publiquem os nossos comentarios.

Nuno Pacheco disse...

Concordo em absoluto com o Miglão, pois se houveram lances que adulteraram a verdade deste jogo em que o PORTIMONENSE foi o principal lesado, também não podemos esquecer que o Olhanense encostou-nos às "cordas" na segunda parte, pondo a nu as nossas fragilidades defensivas...Espero que na segunda volta possamos vingar esta derrota. Mas no computo geral penso que a vitória dos rivais de Olhão aceita-se, não obstante a miserável arbitragem protagonizada pelo senhor Paulo Costa e o seu assistente do lado da bancada dos sócios...

Nuno Pacheco disse...

...sem esquecer o assistente do lado contrário que nos sonegou um penalty cometido sobre o Hugo Santos...Relativamente à expulsão de Vítor Pontes...eu estava mesmo atrás do banco do PORTIMONENSE e foi perfeitamente audível o desabafo do nosso treinador..."Isto é uma vergonha" foram as suas palavras...é incrível como se expulsa alguém que no calor do jogo desabafa desta forma sem ofender quem quer que seja...ainda assim gostava de ter acesso ao relatório do árbitro...para aferir da razão que levou a esta expulsão absolutamente inacreditável...FORÇA MÍSTER!!!

Toy Marafado disse...

Assumindo um papel de Treinador de Bancada, analiso o desempenho da nossa equipa no derby.
Tivemos uma grande atitude competitiva e merecíamos de facto o empate. A arbitragem foi mesquinha e inteligente, empurrando com faltas sucessivas, muitas delas inexistentes, os nossos jogadores para a sua defensiva. O fiscal-de-linha do lado da bancada nem sei o que dizer... Mandou para o balneário o Prof. Pedro Lima e o Vítor Pontes, enfim...
Relativamente aos nossos jogadores, o Paulo continua a demonstrar uma estranha insegurança. Os laterais estiveram bem melhor a atacar que a defender. O meio-campo foi o nosso melhor sector. Na frente a boa exibição de Raphael Freitas ficou manchada por uma penalidade infantil. Duvido que o Olhanense conseguisse o empate senão através de um erro grosseiro destes!
Vasco Matos, Hugo Santos e Rui Pedro estão fora de forma. Gonzalo fez muita falta!
Vítor Pontes, quando viu Jorge Costa colocar Ukra em campo, poderia ter mexido logo na equipa. Não teria sido útil fechar mais o meio com Loureiro em detrimento de Vasco Matos, que foi claramente um jogador a menos!?
Enfim, é só a minha opinião de Treinador de Bancada e não vale mais do que isso mesmo...

Miguel Menezes "miGLã0" disse...

Na minha opinião, os nossos melhores jogadores foram o Narcisse e o N.Coelho.