terça-feira, 17 de março de 2009

Jogadores emprestados pelo FC. Porto

O Blog do Portimonense resolveu fazer uma pesquisa sobre a política de empréstimos do FC. Porto, quem são os jogadores que se encontram na condição de emprestados e aonde jogam. Existem ainda outros elementos emprestados a clubes da IIª Divisão B.


Jogadores emprestados pelo FC Porto a clubes da Liga Sagres, Liga Vitalis e clubes estrangeiros:

Guarda-redes: Bruno Vale (V.Setúbal) e Paulo Ribeiro (Portimonense).
Defesas: Leandro (Palmeiras/Brasil), Nuno André Coelho (E. Amadora), Tengarrinha (Estr. Amadora), Bura (Sp. Covilhã), João Pedro (Gloria Bistrita/Roménia), Steven Vitória (Olhanense), Stéphane (Olhanense), André Pinto (Santa Clara), João Paulo (Rapid Bucareste/Roménia) e Edson (Rio Ave).
Médios: Ibson (Flamengo/Brasil), Leandro Lima (V. Setúbal), Castro (Olhanense), Pedro Moreira (Boavista), Nuno Prata Coelho (Portimonense), Paulo Machado (Saint-Etienne/França), Federico Scoppa (Sp. Covilhã), André André (Varzim) e Kazmierczak (Derby County/Inglaterra).
Avançados: Maxi Asís (Portimonense), Candeias (Rio Ave), Hélder Barbosa (Trofense), Monteiro (Sp.Covilhã), Ivanildo (Gil Vicente), Zequinha (Gil Vicente), Bruno Gama (V. Setúbal), Bruno Moraes (V. Setúbal), Rui Pedro (Portimonense), Ukra (Olhanense), Renteria (Sp. Braga), Cláudio Pitbull (Rapid Bucareste/Roménia), Vieirinha (PAOK/Grécia) e Diogo Valente (Leixões).


De acordo com o Maisfutebol, o FC. Porto aplica uma regra diferente em relação aos rivais, regra essa que pode levar os clubes a ter de borla um, dois, três ou quatro jogadores no plantel.

Em tempo de crise, ter no plantel um jogador emprestado pelo FC. Porto pode significar uma total ausência de custos salariais. Isto porque o número de jogos determina, no caso dos portistas, o valor que o clube receptor paga pelo atleta. Não é assim com todos os jogadores emprestados pelos dragões, mas tal acontece com muitos que actuam nos Campeonatos profissionais em Portugal.

O Maisfutebol sabe que os acordos de cedência feitos pelo FC. Porto com Estr. Amadora, Vit. Setúbal ou Académica, por exemplo, determinam que os clubes que recebem o jogador possam não ter de pagar nada por ele. Estranho? As cláusulas estão bem definidas nos contratos assinados: "Se efectuar menos de 50 por cento de todos os jogos oficiais o clube pelo qual o jogador joga, paga 85 por cento do contrato que ele tem com o FC. Porto. Se efectuar entre 50 e 80 por cento dos jogos, o clube paga 35 por cento do vencimento. Se jogar mais de 80 por cento, o clube não paga nada."

O tempo de utilização não significa que o jogador tenha de cumprir os 90 minutos. Os responsáveis portistas consideram como o tempo útil de utilização se o jogador actuar pelo menos em 46 minutos por partida. "Considera-se como utilização em jogo um período não inferior a 45 minutos", está estipulado numa das cláusulas contratuais.

Ou seja, se Nuno André Coelho, Monteiro, Bruno Gama, Bruno Vale, Leandro Lima ou Edson jogarem pelo menos 46 minutos em mais de 80 por cento dos jogos oficiais desta época, no final da temporada Estr. Amadora, Vitória de Setúbal e Académica de Coimbra não têm de pagar qualquer verba ao FC. Porto.

As negociações com os portistas contemplam que o acerto de contas é feito apenas no final da época, precisamente para definir quanto é que o clube ao qual o jogador esteve cedido tem a pagar.

José Manuel Meirim, professor de Direito Desportivo, explicou ao Maisfutebol que não existe qualquer impedimento na legislação para um jogador actuar de borla noutro clube: "Em bom rigor, quase que funciona como um estímulo e não visa limitar a utilização do jogador. O que pode suceder é no interior do clube haver alguma questão com os outros atletas que são preteridos. É uma liberdade contratual entre os dois clubes."

No caso de um dos jogadores cedidos se lesionar, este acordo deixa de ter efeito. Foi o que aconteceu com Bruno Moraes, avançado cedido ao Vitória de Setúbal, que está a recuperar de uma operação ao joelho. O ordenado, durante o tempo de inactividade, é pago pelo seguro. Depois, o acerto de contas entre o clube do Bonfim e os portistas é feito de outra forma: ou seja, contabiliza-se o número de jogos em que o jogador esteve disponível e os que foi utilizado, e encontra-se a percentagem de utilização.

Mas o FC. Porto não empresta todos os jogadores nestes termos. Cláudio Pitbull e Fernando, por exemplo, não jogaram no Bonfim e na Reboleira, na época passada, desta forma. Estrela e Vitória pagaram aos dragões uma determinada verba que foi estipulada, independentemente dos minutos em que ambos actuaram.
Também Renteria está cedido ao Sp. Braga sem qualquer condicionalismo pela utilização. Seja ou não aposta de Jorge Jesus, os bracarenses pagam uma percentagem do vencimento do internacional colombiano que é fixa.

Estas excepções, chamemos-lhe assim, acontecem devido ao valor de mercado do atleta e do número de pretendentes que existem para o receber.

6 comentários:

Anónimo disse...

Pelos visto nem isso o PSC tem aproveitado.

O ano passado o Nuno André Coelho não era titular, este ano apenas o Nuno Coelho tem sido. Deve ser pela (falta de) qualidade que os jogadores do FCP tem emprestado ao PSC!

Pela positiva é de enaltecer que os treinadores que têm passado pelo PSC não se deixam influenciar por estes estímulos...

Ruben disse...

No caso do Portimonense, penso que o acordo é diferente.

O FC Porto além de pagar os ordenados aos jogadores por completo, ainda paga um prémio ao clube, por cada minuto de utilização, quer em jogos oficiais, quer em jogos particulares.

Este é o benificio que tiramos de ter excelentes relações com o Fc Porto.

Sempre que precisarmos de um reforço de dinheiro na tesouraria, basta colocarmos um emprestado a jogar alguns minutos.

:P

LobbyAlgarvio disse...

epa, que grande pesquisa. Abrir uma página do Mais Futebol...

Bruno disse...

Estes clubes que emprestam jogadores a clubes mais pequenos dominam o futebol nacional e as vezes fazem-se certos favores a pala disto...

ALVIDARK disse...

em vez de fazerem uma pesquisa das TRIPAS, nao fazem do portimonense heim, isto e o blog do portimonense , nao e do porto, kero la saber dos jogadores do porto.... portimao portimao juntos na uniao para rumar á 1 liga

Anónimo disse...

Jogadores emprestados pelo clube que prejudicou o Portimonense! Um presidente Portista, amigo do corrupto presidente do Porto, como presidente do maior clube do Algarve! O Portimonense merece mais! Nem o Rocha das anedotas, quanto mais um instrumento do PAPA! Onde chegamos...