segunda-feira, 4 de agosto de 2008

ALÊ SONHA COM A SELECÇÃO DA LITUÂNIA!?



O sonho lituano do brasileiro Alê

Alê, guarda-redes brasileiro do Portimonense, quer ir à Selecção. Não à do país onde nasceu há 26 anos, mas à da Lituânia, que agora passou a ser dirigida pelo português José Couceiro. Alê é neto, por parte do pai, de um lituano, já falecido, que emigrou para o Brasil e por lá deixou descendência. Aliás, o nome do guardião não engana: Aleksander Montrimas. "Desde que vim para cá apenas usei o passaporte da Lituânia", revela, a O JOGO, Alê, que assim pôde viver e movimentar-se como cidadão da União Europeia. "Aí já deu jeito e agora seria óptimo se fosse chamado para a selecção da Lituânia. Pelo orgulho que seria representar o país do meu avô e, como é lógico, pela visibilidade que teria", confirma o guarda-redes dos algarvios, esperando que o facto de o seleccionador ser um português - que também é o novo treinador do Kaunas, Campeão daquele país do Báltico - o ajude a realizar esse sonho . "Sim, agora talvez seja mais fácil isso acontecer. Estou na expectativa", admite Alê, que nunca visitou a Lituânia e nem sabe muito sobre o país do avô. "Só sei que faz frio e que se fala russo e inglês", resume. É o suficiente.


Começar de novo na II Divisão

Depois de oito anos na Portuguesa e de ter sido capitão do Bragantino, Alê veio para o Beira-Mar, em 2005/06. No fim do contrato, uma lesão no primeiro de dois dias de testes num abastado clube romeno e o regresso a Portugal já o mercado fechava. Sobrou o Esmoriz, da II Divisão: "Ajudaram-me, sobretudo o Presidente." Agora, tem dois anos de contrato em Portimão e o objectivo de "ainda fazer carreira na Europa".


FONTE: www.ojogo.pt

12 comentários:

Simõesonov disse...

Ok.

Está provocado cientificamente que o ser humano deriva do macaco, com origem em África.

Isso significa que eu posso representar a selecção da Etiópia?

Anónimo disse...

estupidez ....

Anónimo disse...

do simões, penso que era o que querias dizer.

Simõesonov disse...

Do Simões???

Vais dizer que é normal um jogador desejar representar a selecção da Lituânia??? Um pais do qual só sabe que "é frio".

Estas regras são ridículas. O futebol fica completamente desformatado. Qualquer dia as selecções estão como os clubes: meia dúzia de brasileiros, 4 ganeses, 5 argentinos de 2ª linha, a representar...a Lituânia.

Anónimo disse...

n fales mal do jogador q um dia ainda vais ter q tirar uma foto abraçado a ele...

Simõesonov disse...

Leste em algum sítio que o considerava mau guarda redes? Mau profissional? Não me parece.
Aliás, faço votos para que seja o melhor guarda redes do mundo pois o Portimonense só teria a ganhar.

Leste apenas a minha posição em relação às ridiculas naturalizações. Nesta matéria é que o "barrete" serve ao Alê.

Cumps

Anónimo disse...

"...Alê, que nunca visitou a Lituânia e nem sabe muito sobre o país do avô. "Só sei que faz frio e que se fala russo e inglês", resume. É o suficiente...."

De facto é ridículo...ele é tão lituano como eu sou das Seichelles.

Anónimo disse...

Sr. Simõesonov, entendo o seu sentimento perante este tema, eu também não concordo com a naturalização de jogadores sem haver ligações com a nacionalidade do país que pretende representar,mas o facto é que o Alê tinha um avô que era lituano, e se assim é, ele pode representar a Lituânia, não por ter jogado um
"par" de anos lá,mas por ter laços familiares que o ligam aquele país.

Anónimo disse...

Acho que devemos respeitar o desejo do alê.
Isso é um escolha pessoal, e não sabemos o que está por tras disso.
Mas sendo vcs torcedores do Portimonense ,teriam que apoia-lo pois isso seria bom ao clube tambem.
Mas cada um tem sua opnião e respeitem a dele.

Toy Marafado disse...

Uma eventual ida do nosso guarda-redes Alê à Selecção da Lituânia, pese tratar-se de um país com pouca expressão a nível futebolistico, será um orgulho para todos os Portimonenses.
O Portimonense ser servido por jogadores internacionais, independentemente do país que representem, é sempre motivo de orgulho.

Simõesonov disse...

Claro, se as leis permitem, acho muito bem que o faça. Com a própria Lei é que eu não concordo. Não faz sentido, está a desformatar o futebol.

Anónimo disse...

TEM 26 ANOS ESTEVE 8 NA PORTUGUESA MAIS NÃO SEI QUANTOS NO BRAGANTINO ,MAIS QUANTOS NA LITUANIA,VEIO PARA O BEIRA -MAR EM 2005 PASSOU P/ESMORIZ QUE GRANDES ALDRABÕES.