quinta-feira, 14 de agosto de 2008

O PREÇO DA CORRECÇÃO - ANSELMO "ESCAPOU"



O presidente do Olhanense, Isidoro Sousa, enalteceu o comportamento de Fernando Rocha (Presidente do Portimonense) no processo que conduziu à contratação do reforço brasileiro Anselmo pelos nossos rivais do sotavento.

"Fizemos um esforço para assegurar um defesa de qualidade, que conhecemos bem. O Portimonense agiu correctamente no processo mas o jogador decidiu aceitar a nossa proposta" - referiu Isidoro Sousa ao Jornal Record.

Sendo verdade que perdemos uma boa oportunidade de reforçar o plantel, deveremos também realçar que o nosso Portimonense sai deste processo visto como um clube sério e respeitador. Quem sabe se esta posição não nos abrirá outras portas no futuro...

Fica confirmado que o Portimonense está no mercado à procura (pelo menos) de um defesa central, e que não entrará em loucuras para conseguir uma boa contratação. Contratar a qualquer preço? Claro que não...
Fica também esclarecido que a vontade de Anselmo era jogar no clube que se "esforçasse" mais. Ora, o Portimonense precisa de jogadores que sintam a camisola e não de mercenários.
Em meu entender tivémos a postura que se espera de um grande clube. Se não vem Anselmo, certamente virá outro.

5 comentários:

Anónimo disse...

vai dar frutos no que?

somos é comidos por parvos sempre...

Anónimo disse...

se este cromo quisesse jogar em portimão teria assinado. fizeram bem em não oferecer mais que o olhanense. há-de vir um melhor.

Anónimo disse...

O Portimonense precisa de um defesa central,um ala e um avançado.
Para defesa central uma opção é Valnei que na época passada jogou no Gil, ou o Verissímo que jogou no fátima na época passada.
Para ala o Vasco Matos é um bom jogador mas talvez caro a nível de ordenados e para avançados o furtado,o Baylon que já foi dado como dispensado pelo braga, o rabiola do porto.

luismiguel disse...

somos correctos mas enquanto os outros conseguem reforços de valor nós adquirimos refugo.
Viva a correcção ! !

Simõesonov disse...

Luís, o que não falta aí é bons centrais. Falta é dinheiro para pagar ordenados inflacionados.
Viva a correcção... mesmo!